Buscar

Confira 5 dicas para abrir sua empresa em 2022

Em 2021, houve um recorde no número de novos microempreendedores no Brasil. Confira neste artigo os principais pontos para se atentar antes de abrir sua empresa.




Introdução

Já faz um tempinho que o número de empreendedores no Brasil está crescendo. Para se ter noção, foi publlicado no Boletim do Mapa de Empresas do Ministério da Economia que o Brasil registrou recorde de 1,4 milhão de novas empresas abertas entre maio e agosto de 2021.


Esse número aponta um crescimento de 26,5% nas aberturas de empresas em relação ao mesmo período do ano anterior.


Outro estudo, divulgado pela Serasa Experian, apontou que grande parte das empresas nascidas em 2021 são de microempreendedores individuais (MEIs). Segundo dados divulgados pela empresa, apenas em janeiro do ano passado, mais de 300.000 novos registros foram abertos no setor. O número é o maior desde janeiro de 2010, quando se iniciou a série histórica.


Você é MEI e precisa de ajuda com a abertura da sua empresa? Fale com a Muvers!


Pensando nos brasileiros que começaram a empreender recentemente – ou que têm planos de abrir o próprio negócio em 2022 – reunimos, abaixo, 5 dicas essenciais para quem deseja abrir uma empresa. Veja quais são elas.



1. Você precisa ter conhecimento no setor

Está entre os erros mais comuns cometidos pelos empreendedores no início da sua jornada, apostar em determinado negócio ou segmento apenas porque ele está em alta naquele momento.


Você quer um exemplo clássico disso? Lembra-se da febre que foram as paletas mexicanas no Brasil a alguns anos atrás? Muitos negócios surgiram neste ramo, mas pouco tempo depois, o interesse do consumidor caiu significativamente.


Queremos que você entenda que saber sobre um negócio é essencial para fazer com que ele dê certo.


Por isso, vai a primeira dica: nunca aja por impulso e conheça bem a área em que deseja atuar.

Caso você tenha muito interesse e afinidade com o tema, mas não tem tanta experiência no setor, uma opção é procurar por sócios mais experientes que possam ajudar nessa caminhada!



2. Faça um estudo do mercado

O benchmarking, é uma técnica que você deve considerar usar durante a análise da concorrência do ramo que você deseja atuar. Com ela, você consegue indentificar as principais ameaças e também aquilo que já foi implementado no mercado e que tem funcionado, podendo "reciclar" o mesmo processo, produto e demais insights que você identificar em seu negócio.


É nesta etapa, também, que você deve definir as personas e o público alvo – informações essenciais para embasar decisões estratégicas como a localização dos pontos de venda, o tom de voz da marca e a segmentação de campanhas publicitárias, por exemplo.



3. Tenha um planejamento financeiro


Do investimento inicial ao valor que será necessário ter em caixa para sustentar a operação em períodos de crise, organizar as finanças é fundamental para o sucesso de uma empresa.


Nesse momento de abertura de um novo negócio, um dos valores mais importantes de ter em mente é o do capital de giro – valor que fica guardado para sustentar a operação da empresa enquanto as contas a receber não entram no caixa. Isso vai evitar que as contas entrem no vermelho diante de adversidades durante processo de consolidação da companhia no mercado.


No site do SEBRAE é possível encontrar um passo a passo para calcular esse valor.


Outra dica repetida exaustivamente por especialistas em gestão financeira para este momento de abertura de empresa é: não esqueça de separar a sua conta pessoal da conta da empresarial. Não apenas porque isso ajuda a trazer maior credibilidade à empresa, mas principalmente porque a separação das contas é a única maneira de ter uma visão realista dos recebimentos e gastos no longo prazo.



4. Realize o registro da sua marca

O processo de registro da marca irá protegê-la legalmente e garantir ao empreendedor o direito de uso exclusivo em todo o território nacional. No Brasil, o órgão responsável por este tipo de registro é o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) – que oferece descontos para alguns usuários, como microempresas, microempreendedores individuais, pessoas físicas e cooperativas.

Outra dica relacionada à propriedade da marca, é comprar um domínio na internet. Mesmo que ainda não existam planos concretos de levar o seu negócio para o ambiente digital, considere montar um site que reúna, ao menos, informações básicas da empresa – como endereço, contato e os principais serviços oferecidos. Afinal, a presença na web é cada vez mais importante quando o assunto é credibilidade de uma marca.


5. Nunca tenha medo de mudar de rota

É importante ter em mente que obstáculos e adversidades fazem parte da rotina de qualquer empreendedor – e que, portanto, não devem ser motivo para fazer você desistir do seu projeto. Pelo contrário: tenha em mente que seu produto ou serviço sempre poderá ser aperfeiçoado e que, quanto antes você perceber as falhas (e mais tolerante a mudanças você for), maiores as chances de o negócio prosperar.


Não à toa, Jeff Bezos, fundador da Amazon e um dos empreendedores mais ricos do mundo, disse certa vez


“se você não for flexível, você vai bater sua cabeça contra a parede e não vai ver uma solução diferente para o problema que você está tentando resolver".

Texto adaptado do Exame.